FECHAR
Artigos

Intacta RR2 PRO: A biotecnologia como aliada no MIP

38 vizualizações | Postado em 6 de dezembro de 2017

Pragas são grandes desafios para o desenvolvimento da cultura de soja. Por conta disso, as Boas Práticas Agronômicas (BPA) desempenham um papel fundamental na jornada do agricultor, posicionando investimento nas melhores tecnologias, conhecimento para as decisões mais cruciais e dedicação para executar tudo com eficiência.
Afinal, toda cultivar possui seu potencial produtivo, mas sozinha ela não é capaz de atingi-lo por completo.

Manejo Integrado de Pragas (MIP)

O MIP está entre as BPAs mais importantes quando o objetivo é proporcionar o desenvolvimento da cultura em uma lavoura sustentável e rentável. Empregando diferentes práticas e ferramentas com o objetivo de manter a população de pragas a baixo do nível de dano econômico, o agricultor pode manter o ambiente em condições mais favoráveis para que a cultivar expresse todo seu potencial produtivo.

Entre as principais ferramentas do MIP, estão:

Dessecação antecipada associada a inseticidas
É muito importante que a soja seja instalada no limpo. Com a aplicação de herbicidas de 30 a 15 dias antes do plantio, as plantas daninhas são controladas. Mas a presença de pragas também é um problema no início da lavoura. Plantas daninhas, ou até mesmo a palhada, podem servir de hospedeiro para insetos. Aplicando inseticidas no momento da dessecação, é possível manejar essas pragas, reduzindo o ataque no início do desenvolvimento da cultura.

Tratamento de sementes
Pragas iniciais podem atingir a planta de soja logo após a emergência da lavoura, causando redução de estande. Para auxiliar nessa etapa, o tratamento de sementes, que pode ocorrer de forma industrial ou “on farm” (dentro da fazenda), beneficia a semente da soja com produtos fungicidas e inseticidas. Quando a semente ou a planta em emergência é atacada pela praga, o inseto é controlado.

Monitoramento
Estar presente no campo é muito importante para avaliar a população de pragas e identificar o nível de danos causados por elas nas plantas. Utilizando o pano de batida é possível identificar e quantificar os insetos presentes na lavoura. Para cada tipo de praga existe uma quantidade já determinada de nível de dano econômico. Com as informações corretas o agricultor pode decidir se aplica ou não alguma tática de manejo.

Aplicação de inseticidas
O uso de inseticidas não pode ser indiscriminado. A rentabilidade depende da assertividade nas aplicações, assim como o ambiente pode se tornar mais favorável ao manejo de pragas quando inimigos naturais são preservados no ambiente. Por isso é muito importante realizar essa tarefa no momento correto, com o produto e dose recomendada.

Biotecnologia
Hoje as biotecnologias são as principais aliadas do MIP na cultura da soja. Plantas que contam com a tecnologia Bt (a base da proteína de Bacillus thuringiensis – Bt), possuem um papel fundamental na redução do uso de inseticidas e no aumento do potencial produtivo das lavouras.

Intacta RR2 PRO

Disponibilizada no mercado pelas marcas de semente Monsoy e Agroeste, a tecnologia Intacta RR2 PRO revolucionou a produção de soja no Brasil a partir de seu lançamento. Protegendo a lavoura de soja de forma seletiva contra a Lagarta da Soja, Lagarta Falsa Medideira, Lagarta das Maçãs, Broca das Axilas e Lagarta Elasmo, a tecnologia otimiza o trabalho do agricultor que busca eficiência no manejo de pragas. A Intacta também facilitam o manejo de plantas daninhas por conta da tolerância a Roundup, o herbicida a base de glifosato mais utilizado pelos agricultores.

Em um cenário onde o produtor insere no solo a cultivar recomendada para a região com a biotecnologia Intacta RR2 PRO, o Manejo Integrado de Pragas se torna um trabalho mais fácil, rentável e sustentável.

Compartilhar
Esse post foi útil para você?

Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2017 Monsanto Company. Todos os direitos reservados. Proibida a cópia sem prévia autorização de seus idealizadores.

ADVERTÊNCIA: Os agrotóxicos são produtos perigosos à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Antes de manuseá-los, leia atentamente e siga rigorosamente as recomendações contidas no rótulo, na bula e no receituário agronômico. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual. nunca permita o manuseio de agrotóxicos por menores de idade. Descarte corretamente as embalagens e os restos dos produtos. não reutilize as embalagens vazias. Informe-se sobre aimportância do manejo integrado de pragas.

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.