FECHAR
Artigos

Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

16.1K vizualizações | Postado em 20 de junho de 2018 thumb2 500x470 - Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

Atualmente, pelo menos cinco lagartas são responsáveis pelos maiores impactos econômicos na cultura do milho. Para garantir que os híbridos de milho expressem todo o seu potencial produtivo, é muito importante saber como identificar essas pragas no campo para realizar um bom manejo.

Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho:

“Lagarta-do-cartucho” (Spodoptera frugiperda)

1.s frugiperda - Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

A Spodoptera frugiperda recebeu o nome popular de “lagarta-do-cartucho” por causa do seu hábito de atacar e se alojar no cartucho da planta de milho.

Essa praga apresenta pontuações pretas em pares ao longo do dorso. Sempre um par próximo e outro distante. Possui quatro pontuações no fim do abdômen dispostas em forma de quadrado. Além disso, uma marca em formato de “Y” invertido é visível na cabeça dessa lagarta.

Danos
A mariposa fêmea da S. frugiperda oviposita uma massa de 100 a 300 ovos na folha do milho. Após a eclosão, as lagartas se alimentam das folhas e causam o sintoma de raspagem. Com o passar dos dias, essas larvas migram para o interior do cartucho, onde ficam mais protegidas.

No início da lavoura, a praga atinge a base da planta, que pode morrer de acordo com a intensidade do ataque. Entre os estágios V2 e V4, a lagarta penetra o interior da planta e se alimenta do ponto de crescimento, ocasionando um sintoma conhecido como “coração morto”. Durante a fase de enchimento de grãos, a espiga também pode sofrer ataques e, em alguns casos, chega a cair da planta. Como agravante desse quadro, o índice de grãos ardidos e de micotoxinas pode aumentar.

“Lagarta-da-espiga” (Helicoverpa zea)

2.Helicoverpa zea - Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

A Helicoverpa zea é conhecida como “lagarta-da-espiga”, devido ao seu hábito de atacar a espiga do milho.

A coloração varia entre verde-claro, rosa, marrom ou preta. Apresenta apenas uma cerda alongada no centro das protuberâncias do primeiro, segundo e oitavo segmentos abdominais, assim como uma cerda no centro da protuberância. A lagarta mede cerca de 35 mm, não possui microespinhos e, além de ser polífaga, possui capacidade altamente destrutiva.

Danos
Após se desenvolver, a larva da H. zea migra para a ponta da espiga e consume o estigma no primeiro momento. Depois de alguns dias, começa a se alimentar dos grãos em formação. Esse ataque impacta diretamente a produtividade, graças à redução notável do número de grãos da espiga. Outro agravante é a entrada de fungos e demais patógenos, que, por meio das fissuras provocadas pela lagarta, aumentam o índice de grãos ardidos e de micotoxinas.

“Broca-do-colmo” (Diatrea saccharalis)

3.Diatrae saccharalis - Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

As lagartas da Diatrea saccharalis medem cerca de 22 mm a 25 mm de comprimento, e apresentam a cabeça marrom e o corpo esbranquiçado ou amarelado, com vários pontos escuros. Pode atacar 65 espécies vegetais diferentes, como cana-de-açúcar, milho, milheto, sorgo sacarino, trigo e arroz, assim como gramíneas daninhas e espontâneas. No milho, se alimentam da folha imediatamente após a eclosão.

Danos
Podem atingir raízes, colmo e espigas. Em altas infestações, o ataque desse inseto pode provocar perdas de até 21% na produção. Ao atacarem plantas pequenas ou o cartucho, causam desde furos nas folhas até a morte do ponto de crescimento. Em plantas mais desenvolvidas, seu ataque pode ser identificado pelos orifícios de entrada e saída no colmo do milho, em que é possível ver o buraco em forma de galeria deixado por elas. Esses buracos reduzem a força da planta, que pode tombar. A espiga também pode ser atacada, o que permite a infestação cruzada de carunchos Sitophilus spp.

Lagarta-elasmo (Elasmopalpus lignosellus)

4.Elasmo Joao - Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

A lagarta-elasmo é bem pequena, medindo cerca de 1,5 cm. Seu corpo é marrom-avermelhado e apresenta estrias transversais pardo-escuras. É uma praga esporádica e polífaga, que se alimenta de culturas como soja, milho e algodão, e possui grande capacidade de destruição num curto intervalo de tempo. No milho, se alimenta internamente do colmo. Durante a fase larval, a praga pode migrar de plantas mortas para vivas, o que promove danos como falhas em linhas de plantio, além de secamento e morte das plantas.

Danos
Após a eclosão, a lagarta raspa as folhas da planta e inicia sua penetração no colmo. Os maiores danos ocorrem em áreas de plantio convencional, com solos leves e bem drenados, e os menores em plantio direto e locais irrigados. Começando pelo colmo, a alimentação dessa lagarta vai em direção à região de crescimento da planta, causando o sintoma de “coração morto”. Em algumas situações, os ataques da lagarta-elasmo também geram brotações na base da planta.

Lagarta-rosca (Agrotis ipsilon)

5.Agrotis ipsilon - Conheça as 5 principais lagartas da cultura do milho

A Agrotis ipsilon é conhecida como “lagarta-rosca” porque sempre se enrola quando é tocada.

A lagarta rosca é robusta, com cerca de 5 cm e tem coloração que vai do cinza ao marrom-escuro. O inseto possui listras pretas na cabeça, que formam um “V” invertido. Apresenta pontos negros de tamanhos variados em pares ao longo do corpo, além de faixa pálida na face dorsal. Com pouca pilosidade, o corpo tem textura oleosa. A lagarta-rosca é uma praga polífaga e se alimenta de milho, soja, feijão e algodão, mas ataca principalmente as hortaliças. A lagarta possui hábitos noturnos e fica abrigada no solo sob detritos durante o dia.

Danos
O principal dano ocorre no período de estabelecimento da lavoura, quando as lagartas cortam as plantas jovens, que também possuem 20 cm de altura e acabam tombando, provocando grande perda de estande. Quando o ataque da lagarta-rosca acontece em plantas mais velhas, os sintomas são folhas cortadas ou galerias abertas nas raízes mais superficiais ou na base do caule, o que pode causar o “coração morto”. Se a morte da planta não é notada, o ataque ocasiona perfilhamento.

Quer saber como realizar o manejo mais eficiente para cada lagarta?
Acesse www.roundupreadyplus.com.br e consulte a árvore de recomendação do Sistema Monsanto de Manejo.

Para saber mais sobre as principais pragas da cultura do milho, da soja e do algodão, acesse o Manual de Identificação de Pragas do Sistema Monsanto de Manejo: (www.refugiocomdesconto.com.br/Manual_de_Pragas_2015.pdf).

Compartilhar
Esse post foi útil para você?

Comentários

Deixe o seu comentário!

Cadastre-se para receber as novidades do
Sistema Monsanto de Manejo

Copyright © 2018 Monsanto Company. CNPJ 64.858.525/0001-45.
Todos os direitos reservados. Proibida a cópia sem prévia autorização de seus idealizadores.

ADVERTÊNCIA: Os agrotóxicos são produtos perigosos à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Antes de manuseá-los, leia atentamente e siga rigorosamente as recomendações contidas no rótulo, na bula e no receituário agronômico. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual. nunca permita o manuseio de agrotóxicos por menores de idade. Descarte corretamente as embalagens e os restos dos produtos. não reutilize as embalagens vazias. Informe-se sobre aimportância do manejo integrado de pragas.

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.