FECHAR
Artigos

O sucesso começa no plantio.

142 vizualizações | Postado em 10 de outubro de 2017

É no momento do plantio que o produtor insere no solo seu maior investimento da safra: a cultura desejada. E para que os resultados correspondam as expectativas, é preciso conhecer muito bem as variáveis que podem impactar no sucesso da lavoura.

Saiba mais sobre as estratégias, ferramentas e boas práticas agronômicas que não podem faltar para um plantio eficiente:

Dessecação Antecipada

Culturas de cobertura, culturas antecessoras, e plantas daninhas, podem funcionar como plantas hospedeiras no ambiente, abrigando pragas que causam grande impacto na agricultura. Quando não ocorre o manejo adequado dessas áreas antes da cultura ser instalada, a pressão de pragas que atacam as lavouras durante as fases iniciais pode aumentar.

Por isso, a dessecação antecipada dentro do sistema de plantio direto é essencial. Entre os benefícios dessa prática, se destacam o controle de pragas e de plantas daninhas, a prevenção de problemas com alelopatia e matocompetição, a melhora no estande final de plantas e o potencial aumento na produtividade das lavouras.

Vale lembrar que o número de dias entre a dessecação e o plantio pode ser alterado de acordo com a cultura de cobertura e seu estágio de desenvolvimento, variando entre 20 e 50 dias. O mais recomendado é que sejam feitas duas dessecações: a primeira, em aproximadamente 30 dias antes do plantio, evitando a presença de massa verde, e a segunda logo antes da semeadura, com o objetivo de controlar o primeiro fluxo de plantas daninhas após a dessecação inicial.

 

Plantio

Após a realização da dessecação antecipada de forma eficiente, a área pode receber o plantio. Para começar um bom plantio, a semeadora deve ser regulada de forma correta ainda dentro do galpão. Para o sucesso nessa etapa, a semeadora e seus componentes devem estar em perfeito funcionamento.

O primeiro ponto que deve ser observado é o sistema de distribuição de sementes, que precisa estar em conformidade com o tamanho do grão. Na sequência, deve ocorrer a regulagem do sistema de distribuição. Tendo conhecimento da recomendação específica de quantidade de sementes de cada híbrido ou cultivar que deve ser distribuído, iniciamos a regulagem, que deve acontecer de acordo com o passo a passo:

1 – Escolher o disco e anel de plantio de acordo com a semente.
2 – Suspender semeadora e verificar se todas as partes dela estão em ordem.
3 – Medir circunferência dos pneus, verificar se todos são do mesmo modelo e possuem a mesma calibragem.
4 – Determinar a relação das engrenagens da máquina = Engrenagem motora/ Engrenagem movida.
5 – Realizar a contagem de furos do disco que passam pelo cano condutor de semente nessa relação.
6 – Escolher o número de sementes desejado, por metro linear e consequentemente por volta dos pneus.
7 – Realizar a contagem de sementes.

O solo

Após a regulagem no galpão, o campo deve ser conferido. Abrindo 10 metros de sulco e realizando a contagem das sementes, é possível garantir a população recomendada. Antes de iniciar o plantio, é muito importante verificar as condições de umidade do solo. Durante o plantio, o solo não pode ficar aderido aos mecanismos da semeadora nem ao sistema limitador de profundidade. A compactação também deve ser avaliada, pois em solos com baixa umidade, a disposição das sementes no sulco é prejudicada, principalmente pelo excesso de torrões.

Semeando

Nessa etapa, os seguintes pontos devem ser checados:
– Profundidade de semente: para soja – 2 a 4 cm; para milho – 3 a 5 cm.
– Posição da semente em relação ao adubo: a baixo e ao lado do grão.
– Abertura e fechamento do sulco: importante para evitar bolsas de ar no entrono da semente e impedir que os grãos fiquem expostos, prejudicando sua emergência.
– Verificar o perfeito acondicionamento da semente no sulco de plantio, garantindo assim a emergência uniforme das plantas.

Germinação e Emergência

O processo germinativo da semente acontece em condições favoráveis de umidade e temperatura, que variam entre 10ºC e 42ºC. A germinacão só é iniciada depois que o grão absorve uma quantidade de água que varia entre 30% a 40% de sua massa. Essa fase pode durar de 3 a 15 dias.
A população de plantas ideal, o plantio uniforme e o vigor das sementes são pontos cruciais, que favorecem a uniformidade de germinação, minimizando o aparecimento de plantas dominadas, que impactam diretamente no rendimento final da lavoura.

Processos principais de germinação das sementes:
– Embebição: o processo de embebição e absorção de oxigênio ocorre pelas diferenças de potencial osmótico entre as sementes e o meio.

– Crescimento: quando ocorre o estímulo para a síntese e atividade do ácido giberélico, no escutelo, o qual é carregado para a camada de aleurona onde são ativadas as enzimas digestivas, principalmente a alfa-amilase.

– Divisão Celular: após o desdobramento das substâncias de reserva, notadamente o amido em compostos menores, como a frutose, é transportado até o embrião, fornecendo energia para seu crescimento.

– Emergência ideal: deve ocorrer no tempo correto. A demora na germinação pode expor a semente ao ataque de pragas e doenças, além de tornar o grão suscetível à lixiviação de nutrientes, causada por chuvas durante a semeadura e a emergência.

Compartilhar
Esse post foi útil para você?

Comentários

Deixe o seu comentário!

Copyright © 2017 Monsanto Company. Todos os direitos reservados. Proibida a cópia sem prévia autorização de seus idealizadores.

ADVERTÊNCIA: Os agrotóxicos são produtos perigosos à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Antes de manuseá-los, leia atentamente e siga rigorosamente as recomendações contidas no rótulo, na bula e no receituário agronômico. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual. nunca permita o manuseio de agrotóxicos por menores de idade. Descarte corretamente as embalagens e os restos dos produtos. não reutilize as embalagens vazias. Informe-se sobre aimportância do manejo integrado de pragas.

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.