FECHAR

BOAS PRÁTICAS

O manejo de plantas daninhas em uma propriedade deve ser levado em consideração em longo prazo, através de um sistema integrado de controle de produção que envolva métodos culturais, físicos, mecânicos, químicos, além de outros. Portanto, é necessário alterar constantemente as práticas normalmente utilizadas para o controle, visando evitar ou retardar o aparecimento de resistências.

  1. 1 Evitar deixar áreas em pousio: 70 a 80% das plantas daninhas que infestarão a próxima cultura de verão são produzidas nesse período;
  2. 2 Implantar culturas de inverno que permitam utilizar herbicidas com diferentes modos de ação;
  3. 3 Implantar culturas de cobertura para plantio direto. Solo com boa cobertura vegetal não deixa espaço para as plantas daninhas;
  4. 4 Caso a área fique em pousio, realizar manejo de pós-colheita, evitando deixar que as plantas daninhas dominem a área e produzam sementes;
  5. 5 Procure rotacionar culturas e herbicidas, principalmente em áreas onde há risco ou já tenha estabelecido algum biótipo resistente;
  6. 6 Para culturas tolerantes ao glifosato, realizar corretamente dessecação pré-plantio e plantar no limpo;
  7. 7 Utilizar sempre a dose recomendada no rótulo do herbicida, seguir as recomendações de bula e as boas práticas agrícolas;
  8. 8 Monitoramento após aplicação dos herbicidas: monitorar manchas de plantas daninhas com padrão diferente com problemas de aplicação;
  9. 9 Eliminar focos iniciais de resistência (evitar produção de sementes);
  10. 10 Prevenção da disseminação de sementes por meio do uso de equipamentos limpos e sementes certificadas, entre outros;
  11. 11 Sabendo-se da ocorrência de plantas resistentes numa lavoura, isso exige uma limpeza dos maquinários após os trabalho realizado.
Copyright © 2017 Monsanto Company. Todos os direitos reservados. Proibida a cópia sem prévia autorização de seus idealizadores.

ADVERTÊNCIA: Os agrotóxicos são produtos perigosos à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Antes de manuseá-los, leia atentamente e siga rigorosamente as recomendações contidas no rótulo, na bula e no receituário agronômico. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual. nunca permita o manuseio de agrotóxicos por menores de idade. Descarte corretamente as embalagens e os restos dos produtos. não reutilize as embalagens vazias. Informe-se sobre aimportância do manejo integrado de pragas.

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.